Tratamento da asma grave

Tratamento da asma grave

A asma grave é uma doença crônica e que não tem cura.1 Por isso, o principal objetivo do tratamento é controlar os sintomas da doença no dia a dia – e não apenas controlar as crises provocadas pela doença –, garantindo qualidade de vida ao paciente e diminuindo o risco futuro, como perda de função pulmonar e efeitos colaterais dos medicamentos. A disciplina do paciente é fundamental ao seguir o tratamento diário, o que ajudará a prevenir complicações futuras.2

“Tratar a asma grave é totalmente diferente de tratar uma crise grave de asma. A disciplina e a adesão a todo o tratamento recomendado pelo médico – seja ele medicamentoso, cuidados com o ambiente e exercícios – deve ser seguido a risca, mesmo nos dias em que o paciente se sente bem. Para controlar a asma é preciso esforço diário, sem relaxamento quando o paciente está assintomático. Isso evita as crises.”
Dr. Roberto Stirbulov, Prof. Adjunto da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo CRM-SP 38357

De acordo com a Iniciativa Global contra a Asma (GINA 2014) a gravidade da asma é avaliada retrospectivamente a partir do nível de tratamento necessário para controlar os sintomas e as exacerbações, desde que o paciente esteja em tratamento regular por vários meses. De acordo com a gravidade, a asma pode ser classificada em:3

  • Asma leve: é bem controlada com a etapa 1 ou etapa 2 do tratamento, ou seja, apenas com o uso de medicação de resgate, quando necessário ou com tratamento de baixa intensidade, como baixas doses de corticoide inalatório (CI).
  • Asma moderada: asma que está bem controlada com a etapa 3 do tratamento, ou seja, baixa dose de CI e beta-2 agonista de longa ação (LABA).
  • Asma grave: asma que requer etapa 4 ou etapa 5 de tratamento, ou seja, asma que requer altas doses de CI/LABA para impedir que se torne não controlada ou a asma que se mantém não controlada apesar deste tratamento.

Vale destacar que o tratamento da asma vai muito além dos medicamentos. O cuidado com os ambientes, com a alimentação e, na maioria dos casos, a prática de reabilitação pulmonar e atividades físicas são extremamente importantes.3


Referências

1. Site do National Heart, Lung, and Blood Institure (NHLBI) do National Institutes of Health. Disponível em: http://www.nhlbi.nih.gov/health/health-topics/topics/asthma. Último acesso em dezembro de 2014.
2. Site do National Heart, Lung, and Blood Institure (NHLBI) do National Institutes of Health. Disponível em: http://www.nhlbi.nih.gov/health/health-topics/topics/asthma/treatment. Último acesso em dezembro de 2014.
3. Global Strategy for Asthma Management and Prevention, Global Initiative for Asthma (GINA) 2014. Disponível em: http://www.ginasthma.org/.

Veja mais em: Diagnóstico e tratamento

saiu na mídia

Notícias Relacionadas

Ver Mais +
Ver Mais +