4-6-asma-nao-e-normal-ter-sintomas

Infelizmente a asma ainda não tem cura, mas possui tratamentos capazes de controlar a doença a ponto de o paciente conseguir ter uma vida absolutamente normal.1

A grande maioria dos asmáticos afirma que a doença está controlada, quando na verdade não está. O fato é que a maioria já seu acostumou com os principais sintomas, como tosse e falta de ar, e acreditam que essa é a normalidade da sua vida.

A campanha Asma Sem Sintomas surge para alertar aos mais de 20 milhões de brasileiros2 que sofrem de asma que não é normal conviver com os sintomas e que a doença deve ser tratada corretamente para o paciente não apresentar nenhum sintoma e a doença não se agravar.

O embaixador da campanha é o nadador Cesar Cielo, campeão olímpico em Pequim, que convive diariamente com a doença e a mantém controlada através do tratamento correto. Em entrevista ao Dr. Drauzio Varella ele conta sobre os desafios impostos pela doença e um pouco de sua trajetória até a conquista do tão sonhado ouro.

Assista a Entrevista do Dr. Drauzio Varella com o medalhista de Ouro Cesar Cielo:


O ícone visual é o simpático pulmãozinho. Em uma animação para a internet ele nos apresenta os desafios do dia a dia de um pulmão e apresenta o mote principal da campanha: não é normal ter sintomas. A campanha conta ainda com apoio de diversas personalidades portadoras de asma, como a jogadora Marta e a atriz Monique Alfradique, e com o apoio de diversos simpatizantes da causa, como os atores Leandro Hassum, Mariana Rios e Karina Bacchi.

Assista a animação da campanha Asma Sem Sintomas:


O que é asma?

Asma é uma doença inflamatória que atinge os brônquios, os quais são os canais por onde o ar passa para chegar nos pulmões. Nos pacientes asmáticos estes canais estão mais estreitos, o que dificulta a passagem de ar fazendo com que os sintomas da asma apareçam. Mesmo fora das crises, estas vias ficam inflamadas e reagem de maneira anormal aos estímulos. Por isso é importante manter o tratamento mesmo quando se está bem.3,4

Principais sintomas da asma

Os sintomas mais característicos da doença são a tosse, falta de ar, chiado e aperto no peito e despertar noturno. Normalmente os sintomas pioram à noite e nas primeiras horas da manhã.1 Se você tem asma e apresenta algum destes sintomas, sua asma pode estar descontrolada.

Conheça os tipos de asma.

Existem muitos tipos diferentes de asma.1 Dentre os mais comuns, temos:

  • Asma alérgica: forma mais comum de asma. Nos pacientes com asma alérgica, substâncias comuns, como pólen, pelo de animais, partículas de insetos, causam uma reação exagerada no organismo que pode levar a crises de asma. Normalmente os primeiros sintomas aparecem na infância e adolescência. Pessoas com este tipo de asma devem evitar entrar em contato com as substâncias as quais são alérgicos.
  • Asma não alérgica: algumas pessoas têm asma que não está associada à alergia. Estes casos aparecem normalmente na vida adulta e são desencadeados por fatores como cheiros fortes, poluição e cigarro. Estes fatores, por serem irritantes para o sistema respiratório, podem causar crises também na asma alérgica.
  • Asma de início tardio: algumas pessoas, principalmente mulheres, podem desenvolver asma pela primeira vez na vida adulta. Normalmente estes pacientes tem um perfil não alérgico.
  • Asma com obesidade: alguns pacientes obesos podem desenvolver sintomas respiratórios.

Como a gravidade da asma é classificada?

A gravidade na asma, ao contrário da maioria das outras doenças, não é definida pelo seus sintomas, e sim pelas medicações que o paciente precisa para manter a doença controlada. Ou seja, dependendo de qual medicação o paciente precisou para manter sua asma sem sintomas, a doença é classificada como leve, moderada ou grave1.

Principais diferenças entre asma e bronquite

Asma e bronquite comumente são utilizadas como sinônimos, mas são doenças diferentes. Apesar dos sintomas como chiado e tosse serem parecidos nas duas doenças, na asma estes sintomas não são contínuos,1 tendo períodos de melhora e piora ao longo dos anos. Apesar disso, a asma exige um tratamento contínuo para o paciente viver sem sintomas. Já a bronquite em sua maioria é causada por agentes infecciosos como vírus e bactérias, ou, em uma menor parte, por agentes irritantes como a poluição ou cigarro. Ela pode ser aguda, tendo duração de até 3 semanas, ou crônica, levando tempo maior para ser tratada.5

Portanto, se você tem ASMA, fez ou faz tratamento e ainda apresenta sintomas, isso significa que a doença pode estar fora de controle. Neste caso, o ideal é procurar um médico pneumologista ou alergologista para investigar melhor.

Fazendo o tratamento correto é possível viver sem sintomas e com qualidade de vida! Compartilhe e marque seus amigos para que essa mensagem possa chegar a quem mais precisa!


Referências

1. Global Initiative for Asthma (GINA). 2018 GINA Report, Global Strategy for Asthma Management and Prevention. Disponível em: http://ginasthma.org/ Acessado em 17/05/2017.
2. To T et al. Global asthma prevalence in adults: findings from the cross-sectional world health survey. BMC Public Health. 2012 Mar 19;12:204.
3. Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia (SBPT). Diretrizes da Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia para o Manejo da Asma – 2012. J Bras Pneumol. 2012;38 Suppl 7:S1- S46. Disponível em: http://www.jornaldepneumologia.com.br/pdf/suple_200_70_38_completo_ versao_corrigida_04-09-12.pdf Acessado em 17/05/2017.
4. ECOS em Alergia e Imunologia. Asma Brônquica, Bronquite Asmática, Bronquite Alérgica – Muitos Nomes para o Mesmo Problema. Disponível em: https://educostamd.wordpress.com/2007/01/31/asma-bronquica-bronquite-asmatica-bronquite-alergica-muitos-nomes-para-o-mesmo-problema/ Acessado em 17/05/2017.
5. Albert RH. Diagnosis and treatment of acute bronchitis. Am Fam Physician. 2010;82:1345-1350.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *