Entendendo os sintomas da UCE: por que tenho tanta coceira?

07/07/2017

Entendendo os sintomas da UCE: por que tenho tanta coceira?

Entender os sintomas é o primeiro passo para controlar algumas das características mais comuns da urticária crônica espontânea (UCE) e de outras doenças de pele

Ah, a chegada de um novo ano sempre traz uma lista de resoluções a serem realizadas. Bem, pelo menos a serem tentadas, certo?

Algumas resoluções para 2018:

1. Ir para a academia pelo menos duas vezes por semana: totalmente possível!

2. Manter-se longe do baleiro de doces no trabalho: talvez…

3. Não se coçar quando uma crise de UCE (urticária crônica espontânea) começar: simplesmente impossível!

Enquanto não podemos ajudar com as duas primeiras resoluções, estamos aqui por você no que tratar da urticária crônica espontânea. Então, vamos falar sobre isso, esse sentimento, esse aborrecimento… Sobre como pode ser horrível ter um episódio de coceira quando se vive com uma condição crônica de pele, e como isso pode arruinar um dia perfeito. Vamos falar sobre a necessidade incontrolável de se coçar durante um episódio de UCE.1

Naturalmente, coçar-se dá uma sensação boa. É uma satisfação temporária pelo alívio de um problema que você precisa enfrentar inúmeras vezes. É como realizar um velho hábito que nunca desaparece.1

A coceira te mantém acordado à noite, isso faz com que você perca o sono e te deixa irritado, o que pode ser percebido por todos ao seu redor, incluindo seu chefe, namorado(a) e até mesmo seu animal de estimação.1

A má notícia: coçar sua pele não vai curá-lo dos sintomas. A boa notícia: existem maneiras de ajudar a gerenciar sua coceira.

Por que isso está acontecendo comigo?

Entrando um pouco no universo científico, a razão para a coceira pode não ser tão simples como você pensa. Depois de muita pesquisa, os cientistas descobriram que a coceira e uma eventual sensação de queimação são frequentemente causadas pela histamina, uma substância química produzida normalmente pelo organismo no processo de proteção contra infecções.2 Então, por que uma substância química que supostamente protege o corpo causa tanta irritação? Aqui estão as razões:

 

    • Em primeiro lugar, na UCE, os sintomas são causados por uma ativação anormal do sistema imunológico, e como parte dessa ativação, um tipo de glóbulos brancos (chamados mastócitos) liberam histamina na pele.2-3
    • Até agora, os cientistas descobriram que, na UCE, a ativação dos mastócitos é causada por mecanismos autoimunes, ou seja, quando nosso sistema imunológico ataca alguma proteína normal do nosso organismo como se ela fosse algo que veio de fora, como se fosse uma infecção. Quando isso ocorre, os mastócitos liberam histamina na pele 4-5
    • A histamina ativa os nervos da pele que são normalmente usados para detectar mudanças em seu ambiente imediato, como calor ou toque, e isso faz com que sua pele coce.4

 

Pesquisadores já conseguiram identificar que a causa da coceira é a liberação da histamina, assim como outros mediadores do nosso organismo, embora ainda não se saiba com precisão o motivo de a histamina ser liberada num lugar, parar e, depois ser liberada em outro lugar (as lesões mudam de lugar a cada 24 horas no máximo) Por isso, não é possível prever quanto teremos um episódio de coceira.6-7

Agora é hora de agir!

Agora que você sabe o que faz com que tenha coceira, é hora de agir. O primeiro lugar que você deve visitar é aquele que você já imaginava: o consultório médico! Dê preferência aos médicos especialistas em urticária que são os alergistas e os dermatologistas (encontre especialistas aqui).

Certifique-se de explicar detalhadamente os sintomas ao seu médico para que juntos vocês possam definir o melhor caminho para reduzir a coceira que você sente, seja ela um sintomas da urticária ou de outras doenças (o que deve ser bem investigado antes do início do tratamento).1,4

E vale sempre lembrar: sintomas como lesões avermelhadas na pele, coceira e inchaço, que duram mais de seis semanas seguidas sem qualquer fator externo desencadeante, são indícios de que a urticária pode ser crônica espontânea. Felizmente, hoje as pessoas com UCE também possuem alternativas eficazes para viver com qualidade de vida, sem nenhum sinal ou sintoma da UCE.7-14

Fique de olho para ter acesso a novas postagens e informações sobre outros sintomas que você pode ter e as melhores maneiras de combatê-los!


Fonte: Site Skin to Live in. Disponível em http://www.skintolivein.com/urticaria/article/making-sense-of-the-symptoms-why-am-i-so-itchy/. Último acesso em fevereiro de 2017.

Referências

1. Wheals of Despair. Chronic spontaneous urticaria: breaking free from the cycle of despair. Disponível em: http://preview.thenewsmarket.com/Previews/NVMC/DocumentAssets/333777.pdf Último acesso em dezembro de 2016.
2. Hennino A et al. Pathophysiology of urticaria. Clin Rev Allergy Immunol 2006; 30(1):3-11.
3. ABC News. Why do I itch when I get hives? Disponível em: http://abcnews.go.com/Health/AllergiesOther/story?id=4521888 Último acesso em dezembro de 2016.
4. Zuberbier T, Aberer W, Asero R et al. The EAACI/GA(2) LEN/EDF/WAO Guideline for the definition, classification, diagnosis, and management of urticaria: the 2013 revision and update. Allergy 2014; 69(7):868-87.
5. Kaplan AP. Treatment of chronic spontaneous urticaria. Allergy Asthma Immunol Res. 2012; 4(6):326-31.
6. Schön MP, Boehncke WH. Psoriasis. N Engl J Med. 2005 May 5;352(18):1899-912.
7. Maurer M, Weller K, Bindslev-Jensen C et al. Unmet clinical needs in chronic spontaneous urticaria. A GA²LEN task force report. Allergy 2011;66:317–330.
8. Criado PR et al. Urticária. An Bras Dermatol. 2005;80(6)613-30.
9. O’Donnell BF, Lawlor F, Simpson J et al. The impact of chronic urticaria on the quality of life. Br J Dermatol 1997;136:197–201.
10. Kang MJ, Kim HS, Kim HO et al. The Impact of Chronic Idiopathic Urticaria on Quality of Life in Korean Patients. Ann Dermatol 2009;21:226–9.
11. Barbosa F, Freitas J, Barbosa A. et al. Chronic idiopathic urticaria and anxiety symptoms. J Health Psychol 2011;16:1038–47.
12. Engin B, Uguz F, Yilmaz Eet al. The levels of depression, anxiety and quality of life in patients with chronic idiopathic urticaria. J Eur Acad Dermatol Venereol. 2008 Jan;22(1):36-40.
13. Staubach P, Dechene M, Metz Met al. High prevalence of mental disorders and emotional distress in patients with chronic spontaneous urticaria. Acta Derm Venereol. 2011 Sep;91(5):557-61.
14. Kulthanan K, Jiamton S, Thumpimukvatana N, et al. Chronic idiopathic urticaria: prevalence and clinical course. J Dermatol. 2007;34:294–301.