Share

Você já ficou sem saber o perguntar durante a consulta com dermatologista? É normal rolar uma tensão ou nervosismo, por isso a Dra. Katie Beleznay respondeu algumas perguntas e separou algumas dicas que podem ajudar a te tranquilizar nesse momento.

Quem convive com a psoríase sabe que ela é uma doença que afeta muito mais do que a pele. Do sexo ao estresse, a psoríase encontra um jeito de participar de todos os aspectos da vida, e você precisa falar disso na consulta.

Expor os sentimentos mais profundos numa consulta médica pode parecer um estranho. Mais especificamente, a pergunta “E como você se sente a respeito disso?” pode ser aquela que você estava evitando responder.

Psoríase e os impactos emocionais

É comum que as pessoas se sintam desconfortáveis ao falar de emoções e sintomas emocionais. Pode ser por isso que muitos dos que se consultam comigo querem ter certeza de que estão fazendo as perguntas certas para finalmente ter coragem para falar da parte emocional.

Caso você ainda esteja trabalhando nisso, trouxe uma lista com 3 perguntas importantes a serem feitas em sua próxima consulta. E caso você ainda não tenha um(a) dermatologista, clique aqui e encontre um(a) especialista perto de você!

O que perguntar na consulta?

Chegar na consulta já sabendo o que quer saber pode ajudar muito na relação. Aqui tem 3 perguntas que vão ajudar:

1. Minha psoríase tem relação com o que estou sentindo emocionalmente?

Resposta curta: Talvez.

Falar com um(a) dermatologista vai ajudar a descobrir a resposta completa. Em doenças como a psoríase, muitas vezes há uma conexão entre pele e sentimentos. Em alguns casos, é difícil dizer se a condição está piorando a condição emocional ou vice-versa, e é por isso que é importante fazer essa pergunta.

As manifestações físicas na pele são melhor abordadas por um dermatologista, enquanto o estado emocional deve ser avaliada por um profissional da área de psicologia ou psiquiatria. Embora ambos os caminhos possam exigir tratamentos e abordagens diferentes, é importante que você fale sobre isso já no início da conversa.

2. Por que ou como eu devo monitorar meu humor quando estiver no meio de uma crise?

É parte essencial do processo monitorar como seu humor se altera, bem como qualquer coisa que cause estresse, a fim de identificar possíveis gatilhos para as crises. Caso ainda não tenha feito, você pode fazer um teste chamado DLQI. O DLQI avalia como a psoríase está afetando sua qualidade de vida.

Para algumas pessoas, recomendo que mantenham um diário. Pode ser muito útil registrar as variações de humor. Se escrever em um papel ou caderno não é algo que você queira fazer, você também pode gravar um áudio no seu celular todas as manhãs e noites para acompanhar como está se sentindo.

3. Em que devo prestar atenção ao monitorar meu humor?

Se você está acompanhando o seu humor, seja por anotações em um papel, aplicativo ou de outro jeito, há algumas coisas que você pode ficar de olho. Primeiro, monitore seus sintomas também. Assim você poderá avaliar se seu humor e seus sintomas estão relacionados, veja se há algum padrão.

Se você está com dificuldades para notar padrões, aqui vai uma dica: para sintomas físicos e humor, você deve saber como é o seu “neutro”. Seu “neutro” é como você se sente e qual é a condição da sua pele normalmente. A partir daí, anote as mudanças: se você está sentindo alegria/tristeza, calma/ansiedade, cansaço/com energia. Acrescente também seus sintomas físicos (se sentir algum) à lista. Se sua mudança de humor está direta ou indiretamente relacionada aos sintomas da psoríase, anote.

Eu acredito muito que as pessoas que vêm ao meu consultório se sentiriam melhor em relação a como estão cuidando da psoríase se simplesmente me fizessem essas perguntas. Viver com uma doença de pele pode ser desafiador e nós, dermatologistas, estamos aqui para te ajudar. Então, por favor, fale com a gente!

*A Dra. Katie Beleznay é preceptora do Departamento de Dermatologia da University of British Columbia. Ela concentra sua pesquisa e é especialista em acne, rosácea, psoríase e urticária.

** Imagem ilustrativa – não retrata as pessoas citadas ou a autora do texto **


Referências

1. Finlay AY, Khan GK. Dermatology Life Quality Index (DLQI)–a simple practical measure for routine clinical use. Clin Exp Dermatol. 1994 May;19(3):210-6. http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/?term=8033378.
2. Krueger GG et al. Two considerations for patients with psoriasis and their clinicians: what defines mild, moderate, and severe psoriasis? What constitutes a clinically significant improvement when treating psoriasis? J Am Acad Dermatol. 2000 Aug;43(2 Pt 1):281-5. http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/?term=10906652.

Fonte: Skin to live in. Three Psoriasis Questions You Shouldn’t Be Afraid to Ask Your Derm. Disponível em: https://www.skintolivein.com/psoriasis/article/three-questions-you-shouldnt-be-afraid-to-ask-your-derm/. Acesso em novembro de 2020.

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *