Share

Ouviu falar muito sobre psoríase e gravidez? Descubra aqui o que é verdade e o que não é!

Se você vive com psoríase e pensa em engravidar, é natural que tenha algumas dúvidas: as mulheres com psoríase têm maior risco de complicações na gravidez? A psoríase desaparecerá durante a gravidez? O que acontece depois do parto, as crises pós-gravidez realmente acontecem?

Há muito o que entender. Então, para ajudar a esclarecer as coisas, detalhamos o que a ciência diz sobre o assunto. Vamos lá!

A psoríase não afeta suas chances de engravidar1

Bem, aqui as notícias são boas: pesquisas mostram que ter psoríase não afeta suas chances de ter um bebê.1 Ainda assim, há aspectos que devem ser considerados antes da gravidez, como a continuidade ou mudança do tratamento durante a gestação. Sobre isso, o ideal é que você converse com o seu médico antes de engravidar, para que possam planejar o melhor a ser feito para seu caso específico.

Você já ouviu falar sobre irritação nos mamilos?

Embora alguns especialistas recomendem o uso de esteroides leves tópicos para aliviar as crises após a gravidez, eles também alertam contra o uso nos seios durante a amamentação.2 Na dúvida, já sabe: converse com o seu médico!

Sua psoríase pode melhorar durante a gravidez3

Não ignore a palavra “pode”! A psoríase é uma caixa de surpresas. Muitas pessoas ouvem falar que a psoríase melhora durante a gravidez e ficam na expectativa. Mas as pesquisas mostram que isso não acontece para todas: cerca de 50% das mulheres de fato acham que a condição de pele melhorou e 25% que a doença permanece inalterada durante a gravidez.3

Sua psoríase pode piorar após a gravidez3

Infelizmente, pesquisas mostram que a psoríase pode sim piorar após a gravidez.3 No mesmo estudo que citamos ali em cima, 60% das mulheres relataram piora dos sintomas da psoríase no pós-parto.3 Novamente, este é apenas um estudo, e psoríase e gravidez interagem de maneira diferente para cada mulher. Você e seu médico conhecem melhor seu corpo e podem determinar o que pode ser feito para você.

Você pode ter maior risco de complicações na gravidez4,5

Estudos mostram que mulheres com psoríase apresentam maior risco de complicações na placenta e também de ter um bebê com baixo peso no nascimento.4,5 Se você estiver preocupada com esses riscos, fale com seu médico.

Seu bebê pode ou não ter psoríase6

Se você tem psoríase, há uma chance de 1 em 4 de que seu filho herde a doença.6 Se você e seu parceiro têm psoríase, a chance é de cerca de 65%.6 Vale lembrar que só porque o seu bebê herda genes ligados à psoríase, isso não significa que ele irá realmente desenvolver a doença. De fato, cerca de 1 a cada dez pessoas carrega genes associados à psoríase e, no entanto, apenas 2% da população de fato tem a doença.7

Se você ainda não faz acompanhamento da psoríase com um especialista, aproveite esse momento e encontre aqui um dermatologista que te ajude a planejar a gravidez!


Referências

1. Seeger JD, Lanza LL, West WA, Fernandex C, Rivero E. Pregnancy and pregnancy outcome among women with inflammatory diseases. Dermatol. 2007; 214(1) :32-9.
2. Chi CC, Kirtschig G, Aberer W, Gabbud JP, Lipozenčić J, Kárpáti S, Haustein UF, Zuberbier T, Wojnarowska F.Evidence-based (S3) guideline on topical corticosteroids in pregnancy. Br J Dermatol. 2011; 165(5):943-52.
3. Sorin D, Pavlovsky L, David M. Psoriasis in Pregnancy. Curr Derm Rep 2012; 1:209–213.
4. Yang YW, Chen CS, Chen YH, Lin HC. Psoriasis and pregnancy outcomes: a nationwide population-based study. J Am Acad Dermatol. 2011; 64(1):71-7.
5. Ben-David G, Sheiner E, Hallak M, Levy A. Pregnancy outcome in women with psoriasis. J Reprod Med. 2008 ;53(3):183-7.
6. Swanbeck G, Inerot A, Martinsson T, Enerbäck C, Enlund F, Samuelsson L, Yhr M, Wahlström J. Genetic counselling in psoriasis: empirical data on psoriasis among first-degree relatives of 3095 psoriatic probands. Br J Dermatol. 1997; 137(6):939-42.
7. National Psoriasis Foundation/USA. Genes and Psoriasis. Disponível em: https://www.psoriasis.org/research/genes-and-psoriatic-disease Acesso em outubro de 2019.

Share








































Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *