Psoríase e riscos cardiovasculares: proteja seu coração

Compartilhe:

Você sabia que a psoríase grave pode aumentar de duas a três vezes a probabilidade de complicações cardiovasculares, principalmente em pacientes mais jovens?

É muito comum que pessoas com psoríase apresentem fatores clássicos de risco cardiovascular como síndrome metabólica, obesidade, hipertensão, diabetes mellitus, resistência à insulina e dislipidemia.

Psoríase não é apenas uma doença de pele

A psoríase é uma doença que pode fornecer um fator de risco cardiovascular adicional e independente: a inflamação. A inflamação crônica pode agredir a saúde do endotélio (camada celular que reveste o interior dos vasos sanguíneos e linfáticos), levando à formação de ateromas (depósitos de gordura nas paredes dos vasos sanguíneos), trombose e provocar problemas no coração ou até um acidente vascular cerebral (AVC).

A presença de inflamação sistêmica em combinação com os fatores de risco cardiovasculares pode atuar conjuntamente e aumentar o risco cardiovascular.

É importante ressaltar que, quanto mais grave e mais duradoura a psoríase, maior a chance de comprometimento na saúde da pessoa. Ou seja, alguém com o diagnóstico precoce de psoríase leve tem menor probabilidade de desenvolver doenças cardiovasculares.

O risco  é ainda maior quando a psoríase é grave e tratada inadequadamente. Se o tratamento for correto, porém, é possível reduzir os riscos de doenças como acidente vascular cerebral, infarto do miocárdio etc.

Estilo de vida saudável

Confira quatro dicas que podem melhorar a saúde do seu coração:

  • Mantenha uma alimentação saudável: evite alimentos com altos teores de açúcares, sal e gorduras, que podem predispor à obesidade e gerar alterações metabólicas como diabetes, colesterol alto e hipertensão.
  • Realize atividades físicas regulares: pode ser caminhada, dança, trabalho doméstico ou qualquer outra atividade que evite o sedentarismo. A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda praticar no mínimo 2h30 de atividade física de intensidade moderada ou 75 minutos de atividade intensa por semana. No entanto, fique de olho na intensidade da atividade de acordo com suas habilidades e seus sintomas, principalmente em caso de dor. Em caso de dúvida, não hesite em consultar o seu ou a sua dermatologista.
  • Controle seu estresse: já se sabe que o estresse é um fator de risco para as doenças cardiovasculares e que também pode afetar a saúde da sua pele. Veja algumas dicas para controlar o estresse no texto “Sua Pele Anda Estressada Por Causa da Psoríase?”.
  • Pare de fumar: fumar pode agravar doenças de pele como a psoríase, além de ser um fator de risco para as doenças cardiovasculares.

Cuidados com a pele e o coração

Apesar de um risco real e relativamente alto, as complicações cardiovasculares em pacientes com psoríase permanecem subestimadas e nem sempre o tratamento é adequado. O trabalho conjunto de um(a) dermatologista e um(a) cardiologista pode proporcionar um tratamento mais eficiente e controlar todos os sintomas e doenças.

A psoríase grave requer mais vigilância para prevenir possíveis eventos cardiovasculares. Mas não se preocupe! Mantenha um estilo de vida saudável, respeitando as instruções e prescrições de profissionais da saúde que cuidam de você! E mais importante, mantenha o acompanhamento regular com um(a) dermatologista, e quando necessário, também com um(a) cardiologista.


Referências

  1. Bacchiega BC. Psoríase e doença cardiovascular: lesão além da pele. Arq. Bras. Cardiol. 2019, 113(2), 250-251.
  2. Jindal S, Jindal N. Psoriasis and Cardiovascular Diseases: A Literature Review to Determine the Causal Relationship. Cureus. 2018;10(2):e2195.
  3. Masson W, Lobo M, Molinero G. Psoriasis and Cardiovascular Risk: A Comprehensive Review. Adv Ther. 2020, 37, 2017–2033.

 

Fonte: Bien Vivre Ma Peau. Psoriasis et risques cardiovasculaires: adoptez les bons réflexes. Disponível em https://www.bienvivremapeau.fr/psoriasis/vivre-avec/Psoriasis_et_risque_cardiovasculaires_doptez_les_bons_reflexe/. Acesso em janeiro de 2021.