29 de outubro: Dia Mundial da Psoríase


29 de outubro: Dia Mundial da Psoríase

Dia 29 de outubro marca o Dia Mundial da Psoríase, e a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) está organizando uma campanha nacional de conscientização. O objetivo principal da SBD é ressaltar que, apesar de não ter cura, a psoríase tem controle e que o tratamento pode melhorar a qualidade de vida dos pacientes.1

Quiz de Psoríase

Em seu site, a SBD explica que o “protocolo clínico da doença evoluiu muito nos últimos anos e vai além dos medicamentos tópicos, como cremes, loções e shampoos. Dependendo do grau, que pode ser leve, moderada ou grave, existem outras formas de cuidar do paciente. A fototerapia, os medicamentos sistêmicos tradicionais e os injetáveis (biológicos) são indicados nos tipos de psoríase moderada a grave”.1 Com a campanha a SBD espera também esclarecer os sintomas da psoríase e a importância do diagnóstico correto, ajudando a acabar com o preconceito relacionado à doença, que infelizmente ainda existe.2


Os sintomas da psoríase

A psoríase apresenta um conjunto variado de sinais e sintomas, que às vezes podem ser confundidos com outras doenças da pele. Os sintomas mais comuns da psoríase são lesões róseas ou avermelhadas, recobertas por escamas esbranquiçadas, que afetam a pele, especialmente em cotovelos, joelhos, couro cabeludo, unhas, palmas das mãos e plantas dos pés.2

Além disso, a psoríase é uma doença que vai muito além de uma questão “de pele”, pois está relacionada à outras condições médicas – como diabetes, hipertensão, obesidade e depressão – e pode ainda afetar as articulações dos pacientes (quando recebe o nome de artrite psoriásica).3-5

Apesar dos impactos da psoríase, é importante ter em mente que não há mais motivo para sofrer com as lesões da psoríase e deixar que elas limitem a vida dos pacientes. Hoje, independentemente da gravidade da psoríase, o objetivo do tratamento é alcançar pele sem lesão ou quase sem lesão – isso significa atingir o índice PASI 90 a 100 (quando 90% ou até mesmo 100% das lesões desaparecerem).6 Para alcançar esse resultado é fundamental buscar tratamento adequado junto a um dermatologista.

Siga os canais da SBD e informe-se sobre a campanha!


Referências

1. SBD. Sociedade Brasileira de Dermatologia fala sobre psoríase, preconceito e tratamentos disponíveis no Brasil para tratar a doença. Disponível em: http://www.sbd.org.br/psoriasetemtratamento/noticias/informe-se/sociedade-brasileira-de-dermatologia-fala-sobre-psoriase-preconceito-e-tratamentos-disponiveis-no-brasil-para-tratar-a-doenca/ Acesso em outubro de 2018.
2. Fanpage SBD. Disponível em: https://www.facebook.com/SociedadeBrasileiradeDermatologia/videos/334546890652501/ Acesso em outubro de 2018.
3. Singh G, Aneja SPS. CARDIOVASCULAR COMORBIDITIY IN PSORIASIS. Indian Journal of Dermatology. 2011;56(5):553-556. doi:10.4103/0019-5154.87154.
4. Bhosle MJ, Kulkarni A, Feldman SR, Balkrishnan R. Quality of life in patients with psoriasis. Health and Quality of Life Outcomes. 2006;4:35. doi:10.1186/1477-7525-4-35.
5. National Psoriais Fountation. Up to 30 percent of people with psoriasis develop psoriatic arthritis, an inflammatory form of arthritis. Disponível em: https://www.psoriasis.org/about-psoriatic-arthritis Acesso em outubro de 2018.
6. EMEA – CHMP. Guideline on Clinical Investigation of Medicinal Products Indicated for the Treatment of Psoriasis. Disponível em: http://www.ema.europa.eu/docs/en_GB/document_library/Scientific_guideline/2009/09/WC500003329.pdf Acesso em outubro de 2018.

Veja mais em: Psoríase

saiu na mídia

Notícias Relacionadas