Embora o mês de dezembro marque mundialmente a conscientização sobre o câncer de pele, o melanoma é lembrado em data à parte: durante todo o mês de maio.1,2 Neste ano, apesar da crise que atravessamos, não podemos deixar de ressaltar a importância da prevenção e do tratamento adequado para a doença.

É preciso falar sobre a conscientização do melanoma porque este tipo raro de câncer de pele é também uma das formas mais agressivas e potencialmente fatais da doença.3 Especialmente porque as chances de cura são grandes quando o melanoma é descoberto nos estágios iniciais.4

O mês de conscientização do melanoma chama a atenção para a detecção precoce (com a ajuda do ‘ABCDE do melanoma’, abaixo) e para a prevenção, já que 90% dos casos de melanoma são decorrentes da exposição aos raios solares ultravioletas (UV).3

Afinal, o que é o melanoma?

O melanoma é um tipo grave de câncer de pele que se desenvolve quando células da pele são danificadas, geralmente pela exposição aos raios solares ultravioletas (UV), mas também por radiação em câmaras de bronzeamento artificial. Esses danos na pele provocam mutações genéticas que levam essas células a se multiplicarem rapidamente e a formar tumores malignos.5

Esses tumores têm origem nas células chamadas de melanócitos, aquelas responsáveis pela produção da melanina – um pigmento marrom que confere cor à pele e protege as camadas mais profundas de alguns efeitos nocivos do sol. Os melanomas parecem pintas na pele.5

Já o melanoma avançado (ou metastático) faz referência ao estágio mais grave da doença, quando ela já se espalhou para outras áreas do corpo.5

ABCDE do melanoma: diagnóstico precoce, mais chances de cura

Quando diagnosticado nos estágios iniciais, o melanoma tem chances de cura muito maiores.4 Para auxiliar na identificação dos primeiros sinais da doença, os dermatologistas desenvolveram uma metodologia de autoexame chamada regra do ABCDE. Mas é importante ressaltar que, caso sejam identificados sinais do melanoma, é fundamental procurar sempre um dermatologista. Nenhum autoexame substitui a consulta e avaliação médica.4 Visite um especialista regularmente e desconfie do melanoma se uma pinta ou mancha apresentar:6

  • Assimetria: uma metade da pinta ou mancha é diferente da outra parte.
  • Borda: as bordas são irregulares, entalhadas ou dentadas.
  • Cor: muitas vezes apresentam cor desigual. Tons de preto, marrom e canela ou áreas brancas, cinza, vermelha ou azul podem estar presentes.
  • Diâmetro: o diâmetro é maior que 5 milímetros.
  • Evolução: uma pinta ou mancha vem mudando de tamanho, forma, cor, aparência ou coçando ou sangrando.

Boas notícias para quem tem a doença

O diagnóstico do melanoma geralmente acompanha muitas incertezas, medo e ansiedade…7 Apesar disso, as perspectivas para os pacientes têm melhorado a cada ano.8,9 É importante o conhecimento da presença ou não de mutações que podem ocorrer no melanoma, pois seu entendimento permitiu o desenvolvimento de terapias cada vez mais personalizadas (terapia-alvo) e medicamentos mais eficazes (terapia-alvo e imunoterapia) que podem complementar a cirurgia e até substituir outras mais agressivas, como a quimioterapia e a radioterapia, aumentando a sobrevida e melhorando a qualidade de vida dos pacientes.8,9

A mais comum entre as mutações genéticas, que representa aproximadamente metade dos casos, ocorre em um gene chamado BRAF.10 Embora a descoberta dessa mutação seja bastante recente, de 2002,11 ela já permitiu uma revolução no tratamento da doença.12 Para se ter uma ideia, as pessoas com melanoma metastático hoje vivem até três vezes mais do que na década de 70.13 Em parte, essa melhoria é resultado do melhor entendimento das alterações genéticas que ocorrem no melanoma e dos avanços nas pesquisas.13 Entre os avanços, está o desenvolvimento das chamadas terapias alvo, tratamentos mais seletivos e eficazes, capazes de atacar somente as células que sofreram a mutação genética no gene BRAF.10,13

Ainda assim, não se esqueça: a prevenção e o diagnóstico precoce são as melhores armas contra o melanoma. Proteja-se do sol e fique de olho na sua pele!


Referências

1. SBD. Conheça a Campanha Nacional de Prevenção ao Câncer da Pele. Disponível em: http://www.sbd.org.br/dezembroLaranja/noticias/conheca-a-campanha-nacional-de-prevencao-ao-cancer-da-pele/. Acesso em maio de 2020.
2. Melanoma Brasil. Disponível em: https://www.facebook.com/melanomabrasil/photos/maio-%C3%A9-o-m%C3%AAs-internacional-de-combate-ao-melanoma-o-tipo-de-c%C3%A2ncer-de-pele-mais-/1492204347509078/. Acesso em maio de 2020.
3. Canadian Cancer Society. Melanoma: deadliest type of skin cancer is on the rise. Disponível em: https://www.cancer.ca/en/about-us/for-media/media-releases/national/2014/2014-canadian-cancer-statistics/?region=on&ts=171215062108. Acesso em maio de 2020.
4. American Cancer Society. Disponível em: https://www.cancer.org/cancer/melanoma-skin-cancer/detection-diagnosis-staging/detection.html. Acesso em maio de 2020.
5. Skin Cancer Foundation. What is melanoma? Disponível em: https://www.skincancer.org/skin-cancer-information/melanoma. Acesso em maio de 2020.
6. SBD-RS. Autoexame do ABCDE ajuda no diagnóstico de câncer de pele melanoma. Disponível em: http://www.sbdrs.org.br/autoexame-do-abcde-ajuda-no-diagnostico-de-cancer-de-pele-melanoma/. Acesso em maio de 2020.
7. Banerjee, S. C., D’Agostino, T. A., Gordon, M. L., & Hay, J. L. (2016). “It’s Not JUST Skin Cancer”: Understanding Their Cancer Experience From Melanoma Survivor Narratives Shared Online. Health communication, 33(2), 188–201.
8. Lindsay CR, Spiliopoulou P, Waterston A. Blinded by the light: why the treatment of metastatic melanoma has created a new paradigm for the management of cancer. Therapeutic Advances in Medical Oncology. 2015;7(2):107-121. doi:10.1177/1758834014566619.
9. Targeted Oncology. Factors to Consider in Treating Metastatic Melanoma. Disponível em: http://www.targetedonc.com/case-based-peer-perspectives/melanoma/luke-malignant-melanoma/factors-to-consider-in-treating-metastatic-melanoma. Acesso em maio de 2020.
10. American Cancer Society. Targeted Therapy for Melanoma Skin Cancer. Disponível em https://www.cancer.org/cancer/melanoma-skin-cancer/treating/targeted-therapy.html. Acesso em maio de 2020.
11. Davies et al. Mutations of the BRAF gene in human cancer. Nature. 2002;417:949–954. doi: 10.1038/nature00766.
12. Lindsay CR, Spiliopoulou P, Waterston A. Blinded by the light: why the treatment of metastatic melanoma has created a new paradigm for the management of cancer. Therapeutic Advances in Medical Oncology. 2015;7(2):107-121. doi:10.1177/1758834014566619.
13. Melamoma Just Got Personal. Testing & Treatment. Disponível em https://www.melanomajustgotpersonal.ca/about-melanoma/#Testing-and-Treatment. Acesso em maio de 2020.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *