Invasores no organismo: como o organismo nos protege

Invasores no organismo: como o organismo nos protege

12/09/2017

Invasores no organismo: como o organismo nos protege

Nós todos sabemos que um sistema imunológico saudável é essencial para combater os germes invasores que podem causar doenças. Isso inclui os vírus comuns (responsáveis por resfriados ou gripes, por exemplo) que parecem nos afligir todo inverno, as bactérias (como o estreptococo, que pode causar uma inflamação forte da garganta) e outros germes (como uma infecção estomacal).

A pele e a mucosa (por exemplo, o revestimento interno do nariz) atuam como barreiras iniciais para evitar que os germes entrem no organismo. Atuam juntamente com nossa saliva, suor e lágrimas (que são as defesas ‘químicas’ do organismo), que contêm substâncias (como enzimas) que podem matar os germes. Agora que você sabe isso, você pode pensar sobre as coisas de forma diferente toda vez que seus olhos lacrimejarem ou o seu nariz escorrer…

Se os germes conseguem entrar no organismo, o sistema imunológico constitui a próxima linha de defesa para impedir que cresçam e se multipliquem. O sistema de defesa imunológica consiste de células patrulheiras e substâncias mensageiras (citocinas) que circulam no sangue, que detectam e combatem os germes invasores.

Infecção: quando os germes invadem

Descubra agora como algumas defesas do sistema imunológico tornam-se ativas mesmo sem invasores, causando o “fogo amigo” a nós mesmos com as condições autoinflamatórias.

Quando germes invadem o corpo, causando uma infecção, duas partes do sistema imunológico trabalham juntas para combater os invasores:

  • Uma infecção típica é combatida primeiramente pela resposta imunológica que temos desde o nascimento (sistema imunológico inato) aos invasores por meio do processo de inflamação, que atrai células para “comer” os invasores (imagine o Pacman!). Se isto não for suficiente para destruí-los, o sistema imunológico adquirido auxilia no processo.
  • O sistema imunológico adquirido “aprende” sobre o germe e, então, desenvolve anticorpos dirigidos especificamente para esse germe. Os anticorpos ligam-se e aglomeram os germes em conjunto, de forma que podem destruí-los. O sistema imunológico adquirido também “lembra” do germe e pode produzir os anticorpos específicos contra o germe muito rapidamente a partir da “memória imunológica”, se o mesmo germe invadir o corpo novamente. Aproveitamos dessa capacidade do organismo em recordar as invasões anteriores por germes quando somos vacinamos contra as doenças.

Desenvolvimento de uma resposta imune saudável aos germes

O que são as doenças autoinflamatórias?

Doenças autoinflamatórias são condições em que a resposta inflamatória parece ocorrer automaticamente ou “por conta própria”, em vez de como uma resposta aos germes invasores. Esta autoinflamação envolve o sistema imunológico inato inespecífico1 e ocorre periodicamente em algumas pessoas ou continuamente (cronicamente) em outras.

Durante uma resposta autoinflamatória, o sistema imunológico inato é ativado mesmo que não haja germes presentes no organismo (isto significa que as células do sistema imunológico agem como se estivessem combatendo os germes, resultando em uma resposta inflamatória que afeta todo o organismo.1 Isso provoca um surto da doença com sintomas típicos que incluem febre, erupção cutânea, inchaço das articulações, dor e fadiga.1

Por que isso acontece?

Por que isso acontece?

Existem várias causas para as doenças autoinflamatórias:1

Mutações genéticas

  • Hereditária
  • Causada por mudanças nas “Instruções” (DNA) para o sistema imunológico inato
  • Inclui as síndromes de febre periódica (CAPS, FMF, TRAPS e HIDS)

Fatores desencadeantes

  • Substâncias produzidas durante as reações químicas no organismo (produtos metabólicos) ou substâncias estranhas

Causas múltiplas/ desconhecidas

  • Inclui artrite idiopática juvenil sistêmica (AIJS) e várias doenças que ocorrem comumente, como a gota, pseudogota, diabetes tipo II e aterosclerose