O câncer de mama avançado ou metastático nem sempre causa sintomas. Quando os sintomas ocorrem, o tipo de sintoma, a frequência e a intensidade variam de acordo com o tamanho e a localização dos tumores metastáticos, ou seja, daqueles que avançaram para outros órgãos ou tecidos do corpo.1

As células cancerígenas da mama se espalham geralmente para os pulmões, fígado, ossos ou cérebro. Portanto, os sintomas podem variar, dependendo da região ou órgão em que o câncer de mama se instalou.2

Entenda mais sobre os possíveis sintomas de acordo com a localização da metástase do câncer de mama.

Sintomas da metástase nos ossos1-3

  • Dor severa e progressiva;
  • Inchaço;
  • Ossos são mais facilmente fraturados ou quebrados;
  • Compressão da medula espinhal;
  • Hipercalcemia (excesso de cálcio no sangue);
  • Anemia;
  • Fadiga.

Sintomas da metástase no cérebro1-2,4,7

  • Dor de cabeça persistente;
  • Distúrbios visuais;
  • Convulsões;
  • Vômitos ou náuseas;
  • Alterações comportamentais ou mudanças de personalidade;
  • Problemas de memória;
  • Dificuldades com a fala.

Sintomas da metástase no fígado 1-2,5,7

  • Icterícia (que leva à coloração amarela da pele);
  • Comichão cutânea ou erupção cutânea;
  • Enzimas anormalmente elevadas no fígado;
  • Dor abdominal, perda de apetite, náuseas e vômitos;
  • Ascite (acúmulo de líquido no abdômen);
  • Cansaço e fadiga;
  • Anemia.

Sintomas da metástase nos pulmões 1-2,6-7

  • Tosse crônica;
  • Falta de ar;
  • Dor no peito;
  • Derrame pleural (acúmulo de líquido no espaço pleural do pulmão);
  • Perda de apetite e perda de peso.

 

Sintomas X efeitos colaterais dos tratamentos

Quando o câncer de mama se espalha para algum destes tecidos ou órgãos, ele pode ser tratado, mas não pode ser curado. Portanto, o objetivo do tratamento do câncer metastático é aliviar os sintomas e dar a melhor qualidade de vida possível às pacientes, durante o maior tempo possível.8

Lembre-se que alguns desses sintomas (como fadiga, náusea, falta de apetite) podem ser causados por doenças comuns, como um resfriado, ou por efeitos colaterais do tratamento do câncer de mama. Se você apresenta algum destes sintomas, o melhor é consultar seu médico, para que ele avalie se há necessidade de reavaliar seu tratamento ou de melhor adequá-lo à sua expectativa de qualidade de vida.2,7-8

 


Referências

1. NIH- National Cancer Institute. Metastatic Cancer. Disponível em: https://www.cancer.gov/types/metastatic-cancer#symptoms. Acesso em novembro de 2016.
2. National Breast Cancer Foundation. Metastatic breast cancer. Disponível em: http://www.nationalbreastcancer.org/metastatic-breast-cancer. Acesso em novembro de 2016.
3. Breast Cancer Care. Secondary Breast cancer in bone. Disponível em: https://www.breastcancercare.org.uk/information-support/secondary-metastatic-breast-cancer/secondary-breast-cancer-diagnosis/secondary-breast-cancer-in-bone. Acesso em novembro de 2016.
4. Breast Cancer Care. Secondary Breast cancer in brain. Disponível em: https://www.breastcancercare.org.uk/information-support/secondary-metastatic-breast-cancer/secondary-breast-cancer-diagnosis/secondary-breast-cancer-in-brain. Acesso em novembro de 2016.
5. Breast Cancer Care. Secondary Breast cancer in liver. Disponível em: https://www.breastcancercare.org.uk/information-support/secondary-metastatic-breast-cancer/secondary-breast-cancer-diagnosis/secondary-breast-cancer-in-liver. Acesso em novembro de 2016.
6. Breast Cancer Care. Secondary Breast cancer in lung. Disponível em: https://www.breastcancercare.org.uk/information-support/secondary-metastatic-breast-cancer/secondary-breast-cancer-diagnosis/secondary-breast-cancer-in-lung. Acesso em novembro de 2016.
7. Cancer Research UK. Symptoms of secondary breast cancer. Disponível em: http://www.cancerresearchuk.org/about-cancer/type/breast-cancer/secondary/about/symptoms-of-secondary-breast-cancer. Acesso em novembro de 2016.
8. Breast Cancer Care. Signs and symptoms of secondary breast cancer. Disponível em: https://www.breastcancercare.org.uk/signs-symptoms-secondary-breast-cancer. Acesso em novembro de 2016.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *