Share

Conciliar sexo com uma doença crônica como a artrite psoriásica (AP) pode ser difícil. Por isso, separamos aqui estão algumas formas de começar uma conversa com seu parceiro sobre isso.

Não é estranho como o sexo, um dos instintos humanos mais básicos e a razão pela qual todos nós existimos, às vezes parece ser o tema mais complicado e constrangedor do mundo?

Se só de pensar em ter que começar uma conversa sobre sexo as placas da psoríase já brotam na sua pele, saiba que você não está sozinho. Apesar de 80% das pessoas com artrite psoriásica dizerem que uma vida sexual saudável é importante para elas, 40% nunca discutiram o impacto da artrite psoriásica com seus parceiros, e quase 60% disse que nunca falaram sobre problemas sexuais com ninguém.1 Além disso, mais de dois terços das pessoas que vivem com artrite psoriásica disseram que a dor, a fadiga, a rigidez e a limitação de movimentos causadas pela doença tiveram um impacto negativo na sua vida sexual.1

Mas olha só: o sexo não é só parte de um relacionamento feliz, é parte de uma vida adulta feliz. E o fato de você ter artrite psoriásica não pode tirar isso de você!

Mas se o segredo para ter uma vida sexual boa com a artrite psoriásica é conversar sobre isso com seu parceiro, como falar? Para começar, é preciso ser o mais aberto e honesto possível. Se começar essa conversa é o que te intimida, saiba que há várias técnicas para fazer com que você se sinta mais confortável. Classificar sua libido (palavrinha estranha, né?) em uma escala de 1 a 10 pode ser útil para monitorar seu humor e ter uma comparação diária de como você está se sentindo (ontem, eu estava em 2 e hoje com 6, porque estou com muito menos dor nas articulações, por exemplo). Outra dica – se você gostaria muito de dizer ao seu parceiro como se sente, mas ainda não consegue colocar isso em palavras –, é escrever uma carta, à moda antiga mesmo. Ela pode ser o primeiro passo para uma conversa.

Para muitas pessoas com doenças crônicas, como a artrite psoriásica, a fadiga (mais do que a dor) parece ser a maior barreira à frequência sexual normal.1 Se por um lado dizem que o planejamento pode tirar a espontaneidade do sexo, por outro, ele pode ser o segredo para uma vida sexual boa e ativa! Então, vamos lá para algumas dicas:

  • Escute seu corpo: aproveite para transar nos dias em que você se sente melhor. Quando a fadiga e dor derem uma trégua.
  • Dê suporte às articulações: recursos simples como travesseiros ou toalhas enroladas podem dar um apoio extra às articulações na hora do sexo. Tenha esses recursos em mãos para facilitar os momentos juntos!
  • Lide com a fadiga dentro do possível: se você tem algo planejado, tente dar uma cochilada no meio da tarde. Isso pode elevar um pouco seu nível de energia e fazer uma grande diferença! E se vocês tinham algo planejado (ou não), mas a fadiga está demais, CONVERSE! Explique como você está se sentindo e já programe algo para quando melhorar. Não se sinta culpado: o importante é que você respeite seu corpo e deixe seu parceiro saber o que está acontecendo.
  • Lide com a dor dentro do possível: se a dor e a rigidez das articulações aumentam a noite, tente agendar para que o tempo só de vocês aconteça no meio do dia. Às vezes aos finais de semana, ou até mesmo ficando algumas horas “fora” do trabalho. Por que não?
  • Converse com seu médico: seu médico não tem bola de cristal. Isso significa que se você não contar a ele sobre como você se sente e o quão grave estão seus sintomas (ou sobre o que eles te impedem de fazer, como sexo), ele não vai ter como te ajudar a melhorar. Você sabia que apenas 25% dos pacientes com psoríase e artrite psoriásica estão satisfeitos com as terapias orais tradicionais?2 E se você não responde bem a esses tratamentos, seu médico pode encontrar outras opções melhores para você! Mas você precisa falar… Então, se você ainda não faz acompanhamento com um especialista, marque agora sua consulta com um dermatologista e um reumatologista!
  • Priorize seu relacionamento! Dificilmente as coisas vão melhorar se você não fizer nada para isso. Sua vida sexual é importante, e vale sim dedicar tempo a ela, planejar e conversar… Não desista!


Referências

1. Rheumatology Network. PsA’s (Invisible) Toll on Sexuality and Identity: Who Cares? Disponível em: http://www.rheumatologynetwork.com/psoriatic-arthritis/psas-invisible-toll-sexuality-and-identity-who-cares Acesso em julho de 2017.
2. Lebwohl MG, Bachelez H, Barker J et al. Patient perspectives in the management of psoriasis: results from the population‐based Multinational Assessment of Psoriasis and Psoriatic Arthritis Survey. J Am Acad Dermatol. 2014 May;70(5):871-81.e1-30.

Fonte: Ask Alia. Let’s talk about sex, baby. Disponível em: https://www.ask-alia.com/lets-talk-about-sex-baby. Acessado em agosto de 2019.

Share








































Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *