o-que-e-anemia-aplasica
Share

A anemia aplásica é uma doença rara que afeta a formação e o desenvolvimento de células do nosso sangue. Ela faz com que o corpo não produza glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas suficientes, tudo ao mesmo tempo. Na linguagem médica, isso é chamado de pancitopenia.1

Diferentes doenças e condições podem impedir nosso organismo (mais precisamente, nossa medula óssea) de produzir novas células sanguíneas de maneira saudável, mas 65% dos casos da anemia aplásica ocorrem espontâneamente, ou seja, quando não há causa possível de ser determinada.2

As causas de anemia aplásica envolvem, por exemplo:

  • Anemias hereditárias: a anemia de Fanconi é a mais comum. Ela se manifesta por volta dos 10 anos de idade e normalmente está acompanhada de problemas no desenvolvimento de órgãos internos e dos ossos, podendo levar à ausência dos polegares e baixa estatura.3
  • Deficiência na enzima telomerase: problemas com as enzimas responsáveis por manter as células capazes de se dividir e se multiplicar de maneira correta. Isso ocorre em cerca de 10% dos casos em que a anemia aplásica é iniciada na fase adulta.4
  • Doenças autoimunes: como o lúpus eritematoso sistêmico.5,6
  • Intoxicação por substâncias químicas: como solventes orgânicos, inseticidas e colas, além da exposição à radiação, seja por acidente ou por tratamento terapêutico, como quimioterapias.7
  • Infecções bacterianas ou virais graves: como na infecção generalizada (sepse) ou nas infecções virais (como citomegalovirus, Epstein-Barr, herpes humana ou varicela zoster), que também são causas conhecidas de anemia aplásica. A hepatite soronegativa (autoimune) é responsável por cerca de 5% a 10% de todos os casos.7

A incidência da anemia aplásica

Segundo estudos, a anemia aplásica costuma atingir até 6 casos a cada 1 milhão de pessoas. A doença afeta homens e mulheres igualmente e, apesar de ocorrer em todas as faixas etárias, cerca de metade dos casos ocorre até os 30 anos, e depois há um segundo pico de incidência menor, após os 60 anos.1,8

É possível viver bem com anemia aplásica?

Embora seja uma condição grave, o tratamento da anemia aplásica pode fazer a diferença na vida dos pacientes que receberem cuidados e tratamentos adequados, no momento certo.11

O médico mais indicado para fazer o diagnóstico, tratamento e acompanhamento das pessoas com anemia aplásica é o hematologista.10

Anemia aplásica é a mesma coisa que síndrome mielodisplásica?

A resposta é não! Embora seja possível confundir os dois nomes (e as próprias doenças), são coisas diferentes. Enquanto na anemia aplásica a medula óssea não produz células sanguíneas de forma suficiente1, nas síndromes mielodisplásicas a medula óssea produz novas células sanguíneas que são um tipo de câncer, deformadas e pouco desenvolvidas.9


Referências

1. Moore CA, Krishnan K. Anemia, Aplastic. In: StatPearls [Internet]. Treasure Island (FL): StatPearls Publishing; 2018 [citado 25 de abril de 2018]. Disponível em: http://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK441984/ Acesso em junho de 2018.
2. DeZern AE, Guinan EC. Aplastic anemia in adolescents and young adults. Acta Haematol. 2014;132(3–4):331–9.
3. Castilla-Cortazar I, de Ita JR, Aguirre GA, Castorena-Torres F, Ortiz-Urbina J, García-Magariño M, et al. Fanconi Anemia and Laron Syndrome. Am J Med Sci. 2017;353(5):425–32.
4. Chatterjee S. Telomeres in health and disease. J Oral Maxillofac Pathol JOMFP. 2017;21(1):87–91.
5. Chalayer E, Costedoat-Chalumeau N, Beyne-Rauzy O, Ninet J, Durupt S, Tebib J, et al. Bone marrow involvement in systemic lupus erythematosus. QJM Mon J Assoc Physicians. 1o de novembro de 2017;110(11):701–11.
6. Gill H, Wong RSM, Kwong Y-L. From chronic immune thrombocytopenia to severe aplastic anemia: recent insights into the evolution of eltrombopag. Ther Adv Hematol. maio de 2017;8(5):159–74.
7. Alashkar F, Föhring D, Dührsen U, Baba HA, Röth A. Cytopenia first – hepatitis second: an unusual sequence in aplastic anemia. Clin Case Rep. 11 de abril de 2017;5(6):778–81.
8. Robert ABrodsky, Richard JJones. Aplastic anaemia. The Lancet. Volume 365, Issue 9471, 7–13 May 2005, Pages 1647-1656.
9. Mayo Clinic. Aplastic anemia – Symptoms and causes. Disponível em: https://www.mayoclinic.org/diseases-conditions/aplastic-anemia/symptoms-causes/syc-20355015 Acesso em maio de 2018.
10. Mayo Clinic. Aplastic Anemia – Diagnosis and treatment. Disponível em: https://www.mayoclinic.org/diseases-conditions/aplastic-anemia/diagnosis-treatment/drc-20355020 Acesso em junho de 2018.
11. NHLBI. Aplastic Anemia. Disponível em: https://www.nhlbi.nih.gov/health-topics/aplastic-anemia#Treatment Acesso em junho de 2018.

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *