Tratamentos para a urticária crônica espontânea

12/11/2014

Tratamentos para a urticária crônica espontânea

O tratamento da urticária crônica espontânea tem como objetivo o controle completo dos sintomas,1,2 permitindo que o paciente possa viver com qualidade e retomar suas atividades diárias sem prejuízos ou limitações.

O tratamento padrão são os anti-histamínicos não sedantes, que agem diretamente bloqueando a ação da histamina.3 O tratamento da urticária crônica espontânea e a dosagem adequada do medicamento devem ser determinados pelo médico. Por mais tentadora que a automedicação possa parecer – por conta do desconforto causado pelos sintomas da urticária – o paciente deve sempre seguir todas as recomendações médicas.4 Isso é fator determinante para o sucesso do tratamento por diferentes razões, inclusive porque alguns medicamentos, como analgésicos e anti-inflamatórios, podem provocar exacerbações e agravar os sintomas da urticária crônica espontânea.5

De acordo com diretrizes internacionais, o médico pode aumentar a dose do anti-histamínico caso o paciente não obtenha resposta adequada com a posologia inicial após período de duas semanas de tratamento.3 Se os sintomas não desaparecem após até mais quatro semanas, apesar da adesão ao tratamento com anti-histamínico adequado, o médico avaliará novas alternativas de tratamentos medicamentosos.3

Cerca de 25% dos pacientes com urticária crônica espontânea não têm controle adequado dos sinais e sintomas da urticária com o uso de anti-histamínicos em doses otimizadas6 e, por isso, necessitam de uma abordagem terapêutica diferenciada.

Em alguns casos, os pacientes com urticária crônica espontânea podem apresentar o angioedema, um inchaço (edema) acompanhado de dor, mais comum em regiões como lábios, pálpebras, área genital, palmas das mãos e plantas dos pés.5 Quando houver suspeita de obstrução das vias aéreas associada – caracterizada por inchaço e dor na garganta, náuseas, vômitos e hipotensão arterial5 (queda da pressão arterial) – recomenda-se que o paciente busque tratamento médico de emergência, diminuindo o risco de consequências mais graves com tratamento adequado.7

Tratamento não medicamentoso da urticária crônica espontânea (UCE)

Além da adesão ao tratamento medicamentoso, conforme prescrição médica, outros cuidados podem ser fundamentais no tratamento da urticária crônica espontânea. Conheça algumas recomendações abaixo!8

  • Tente ter uma atitude positiva em relação à vida. Isso pode melhorar o seu humor!
  • Não guarde suas aflições sobre a convivência com a urticária crônica espontânea: conversar sobre elas pode aliviar a tensão.
  • A menos que seja contraindicado pelo seu médico, exercite-se! Mesmo exercícios leves liberam substâncias que melhoram o humor e, consequentemente, seu bem-estar!
  • Yoga e meditação podem aliviar o estresse, e também melhorar seu sono e bem-estar.
  • Reserve um horário a cada dia para fazer o que você gosta e se divertir. Reduzir o estresse é parte do tratamento da urticária crônica espontânea.
  • Busque apoio psicológico em grupo ou com um profissional de sua confiança para lidar melhor com os desafios diárias de conviver com a urticária crônica espontânea.

No trabalho…9

  • Não deixe que a urticária crônica espontânea te prive de desempenhar seu trabalho com todo o potencial.
  • Considere trabalhar de casa nos dias em que os sintomas da urticária crônica espontânea estiverem agravados.
  • Se a urticária crônica espontânea estiver atrapalhando seu desempenho no trabalho, converse com seu médico, pois ele poderá oferecer caminhos e o apoio necessário para seguir adiante.

Referência

1. Maurer M et al. Unmet clinical needs in chronic spontaneous urticaria. A GA²LEN task force report. Allergy. 2011 Mar;66(3):317-30.
2. Zuberbier T et al. EAACI/GA(2)LEN/EDF/WAO guideline: management of urticaria. Allergy. 2009 Oct;64(10):1427-43.
3. Zuberbier T et al. The EAACI/GA(2) LEN/EDF/WAO Guideline for the definition, classification, diagnosis, and management of urticaria: the 2013 revision and update. Allergy. 2014 Jul;69(7):868-87.
4. Home Remedies. Urticaria. Disponível em: http://www.home-remedies-for-you.com/remedy/Urticaria.html. Acesso em 5 de agosto de 2015.
5. Criado RFJ et al. Urticárias. Rev. bras. alerg. imunopatol. 2005 Nov/Dez; 28(6).
6. Staevska et al. The effectiveness of levocetirizine and desloratadine in up to 4 times conventional doses in difficult-to-treat urticaria. J Allergy Clin Immunol. 2010;125:676-82
7. Australian Society of Clinical Immunology and Allergy (ASCIA). Angioedema. Disponível em http://www.allergy.org.au/patients/skin-allergy/angioedema. Último acesso em 05 de agosto de 2015.
8. Site Skin to Live In. Disponível em http://www.skintolivein.com/research-in-dermatology/infographics/positive-actions/positive-actions-positive-results/#. Último acesso em 03 de agosto de 2015.
9. Skin to Live In. Disponível em http://www.skintolivein.com/research-in-dermatology/infographics/skin-at-work/skin-at-work-worries-in-workplace/. Último acesso em 03 de agosto de 2015.

Veja mais em: Tratamento

saiu na mídia

Notícias Relacionadas

Ver Mais +
Ver Mais +

Conteúdo

Relacionados|Mais lidos

saiu na mídia

Conteúdos Relacionados