Brasil está no topo dos países que mais humilham e discriminam as pessoas com psoríase moderada a grave


Brasil está no topo dos países que mais humilham e discriminam as pessoas com psoríase moderada a grave

Os resultados inéditos da pesquisa CLEAR, a maior já realizada no mundo para entender como vivem e o que sentem as pessoas com psoríase moderada a grave, trouxe dados alarmantes sobre o preconceito no Brasil. Entre 31 países e 8.338 mil pacientes entrevistados, o Brasil é o segundo país onde os pacientes são mais humilhados e discriminados por conta da psoríase. Por aqui, 96% dos pacientes já foram humilhados e discriminados devido à doença, enquanto a média global – que também é altíssima – é de 85%.1

Para se ter uma ideia do preconceito, o número de brasileiros que já tiverem atendimento recusado em salões de beleza, cabeleireiros, barbearias e lojas, por exemplo, também é significativamente maior no Brasil do que na média mundial: 27% aqui vs. 16% no mundo.1

Por outro lado, mais pacientes brasileiros com psoríase moderada a grave acreditam na possibilidade de uma pele sem lesão ou quase lesão (68% vs. 45%), embora eles tenham visitado em média quatro diferentes médicos e tentado quatro terapias diferentes, até receberem um tratamento que proporcionasse pele sem lesão ou quase sem lesão.1

Vale reforçar que cerca de um terço das pessoas com psoríase em placas são diagnosticados com as formas moderada a grave, mais severas e complexas de tratar, e que trazem um impacto ainda maior na qualidade de vida dos pacientes.2  Hoje, o objetivo do tratamento é alcançar pele sem lesão ou quase sem lesão.3

 

Relacionamentos, trabalho e saúde mental

Os relacionamentos dos brasileiros com psoríase moderada a grave também são mais afetado, atingindo 56% dos pacientes (vs. 43% na média global). Destes, 23% tiverem um relacionamento terminado por conta da doença e 40% evitam sexo ou relações íntimas também por conta da psoríase.1

Além disso, mais brasileiros têm medo de perder o emprego (28% vs. 18% na média global) e são alvos de “brincadeiras” no ambiente profissional (33% vs. 23%) por conta da psoríase moderada a grave.1 Por fim, o percentual de brasileiros diagnosticados com alguma condição psicológica resultante da psoríase também é consideravelmente maior aqui do que na média global: 64% no Brasil vs. 38% no mundo. Ansiedade e depressão estão entre os diagnósticos recebidos por pessoas com psoríase.1


Referências

1. Clear Psoriasis Patient Survey.
2. Salgo R & Thaçi D. Treatment of moderate-to-severe plaque psoriasis. G Ital Dermatol Venereol. 2009 Dec;144(6):701-11.
3. EMEA – CHMP. Guideline on Clinical Investigation of Medicinal Products Indicated for the Treatment of Psoriasis. Disponível em http://www.ema.europa.eu/docs/en_GB/document_library/Scientific_guideline/2009/09/WC500003329.pdf. Acesso em abril de 2016.

Veja mais em: Viva sua pele

saiu na mídia

Notícias Relacionadas

Ver Mais +
Ver Mais +