4 dicas para ter adesão ao tratamento da LMC

4 dicas para ter adesão ao tratamento da LMC

05/02/2017

Há muitos desafios para viver bem com leucemia mieloide crônica (LMC). Talvez o maior deles seja o compromisso de tomar a medicação diariamente com consciência do impacto desse tratamento em sua vida. Separamos aqui algumas dicas que podem ajudá-lo a administrar o uso de medicamentos, os efeitos colaterais e a realização dos exames.

Tenha em mente que se você seguir seu tratamento adequadamente e fizer a monitorização conforme recomendado pelo médico, suas chances de alcançar a remissão da doença são muito maiores.

1) Estabeleça uma rotina para a tomada dos medicamentos da LMC: estabeleça uma rotina e tome o comprimido sempre na mesma hora. Escreva no exterior da embalagem a data em que começou com os comprimidos para, em caso de dúvida, confirmar se se esqueceu de algum. Defina um alarme em seu relógio, telefone ou computador para alertá-lo de que é hora de tomar seus comprimidos. Escolha um método que funcione melhor para você com base em suas preferências e necessidades.1,2

2) Minimize os efeitos colaterais da LMC: é importante lembrar que os efeitos colaterais podem ser gerenciados. Converse com seu médico e com a equipe de cuidados de saúde antes de começar seu tratamento para perguntar sobre possíveis efeitos do tratamento e maneiras de preveni-los. Em relação aos efeitos colaterais, existem remédios para dor de cabeça ou azia e pomadas para coceira que podem aliviar o desconforto, mas você sempre deve consultar seu médico antes de tomá-los. O objetivo do tratamento é encontrar um bom ajuste para que você se sinta confortável. Manter uma boa comunicação com seu médico é fundamental no gerenciamento de efeitos colaterais e, nos casos mais graves, em que os efeitos colaterais sejam persistentes e impactem na continuidade do tratamento, seu médico possa considerar a troca da medicação.1,2

3) Faça exames periódicos de LMC: especialistas recomendam que você realize cada exame no tempo certo, porque cada um deles tem metas diferentes.3 Atualmente, realizar o PCR quantitativo cerca de 3 a 4 vezes ao ano é o melhor método de avaliação para verificar a evolução da LMC diante ao tratamento.4,5 Trabalhe junto com seu médico para ter certeza que você está alcançando as metas previstas, evitando a evolução da LMC.3

4) Busque apoio para LMC: compartilhe seus sentimentos com familiares, seu médico, com um assistente social ou em associações de apoio ao paciente com LMC. Ao trabalhar em conjunto com eles e receber suporte emocional para lidar com a doença e suas incertezas, será mais fácil gerenciar sua agenda de tratamento e melhorar a sua qualidade de vida.1

 


Referências
1. Cancer Care. Adherence and CML: Overcome the Challenges to Taking Your Pills. Disponível em http://www.cancercare.org/publications/150-adherence_and_cml_overcome_the_challenges_to_taking_your_pills. Acesso em dezembro de 2016.
2. My CML Life. Dicas para melhorar a adesão. Disponível em http://www.mycmllife.eu/pt/manage/importance_of_adherence/improving_treatment_adherence/
3. ABRALE – Associação Brasileira de Linfoma e Leucemia. Teste molecular: Um guia para atingir suas metas de tratamento na LMC Ph+. Disponível em http://www.abrale.org.br/docs/lmc/teste-molecular.pdf. Acesso em dezembro de 2016.
4. Current Medical Research & Opinion. Association between molecular monitoring and long-term outcomes in chronic myelogenous leukemia patients treated with first line imatinib. Disponível em https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/23738923. Acesso em dezembro de 2016.
5. Revista Brasileira de Hematologia e Hemoterapia. Chronic myeloid leukemia treatment guidelines: Brazilian Association of Hematology, Hemotherapy and Cell Therapy. Brazilian Medical Association Guidelines Project – 2012. Disponível em https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3486828/. Acesso em dezembro de 2016.