Quem está sob maior risco de desenvolver o câncer de mama avançado

Quem está sob maior risco de desenvolver o câncer de mama avançado

26/01/2017

Os fatores de risco para o câncer de mama avançado ou metastático são os mesmos fatores para o câncer de mama inicial. Entre os fatores de risco para o aparecimento do câncer de mama estão:

 

  • Idade: o risco de desenvolver a doença aumenta com a idade, sendo maior a partir dos 50 anos.1,2
  • Fatores genéticos: existem dois genes que aumentam significativamente os riscos do desenvolvimento do câncer de mama. São eles: BRCA1 e BRCA2. Por isso, mulheres que têm histórico familiar de câncer de mama ou de ovário podem ter interesse em avaliar a presença destes genes. No entanto, apenas 5 a 10 % dos casos da doença estão relacionados a esses fatores.1,2
  • Ter a primeira menstruação (menarca) antes dos 12 anos de idade.1,2
  • Passar pela menopausa depois dos 55 anos de idade.1,2
  • Estar acima do peso ou obesa.1,2
  • Fazer uso da terapia de reposição hormonal.1,2
  • Consumir bebidas alcóolicas.1,2
  • Não ter filhos ou ter o primeiro filho após os 35 anos de idade.1,2
  • Ter seios densos, ou seja, seios que contêm menos tecido adiposo e mais tecido glandular.1,2

Alguns destes fatores predispõem a mulher a um maior risco de desenvolver um câncer de mama avançado. Veja a seguir:

Recidiva

Mulheres que já tiveram de câncer de mama apresentam de 3 a 4 vezes mais probabilidade de desenvolver um novo câncer (recidiva), que pode se instalar novamente na mama ou disseminar-se para outros órgãos do corpo.3,4 Algumas características observadas no primeiro diagnóstico podem aumentar as chances de recidiva, como:

 

  • Envolvimento de linfonodos: mulheres que apresentaram câncer nos gânglios linfáticos (estágio III) durante seu primeiro diagnóstico tem de 30-60% de chance de desenvolver doença metastática.5
  • Número de linfonodos positivos: quanto maior o número de gânglios linfáticos atingidos pelo câncer no primeiro diagnóstico, há um maior risco de desenvolver uma doença metastática.5
  • Tamanho do tumor: quanto maior o tamanho do tumor quando o câncer de mama foi diagnosticado pela primeira vez, há um maior risco de desenvolver uma doença metastática.5

Além destas características, há também um maior risco de recorrência e disseminação metastática de acordo com o subtipo molecular do tumor primário.6 Saiba mais!

Etnia

Comumente, mulheres brancas são ligeiramente mais propensas a desenvolver câncer de mama. No entanto, estatísticas apontam que mulheres afro-americanas têm maior probabilidade de desenvolver um câncer de mama avançado. Isso se deve ao diagnóstico tardio, bem como ao estilo de vida (como hábitos alimentares e problemas de peso) que são mais comuns em alguns grupos étnicos. Ainda, o câncer de mama triplo negativo, que é mais agressivo do que outros tipos, é mais comum em mulheres afro-americanas.7

Diagnóstico tardio

Por enquanto, a melhor maneira de evitar que o câncer de mama cresça e se espalhe é diagnosticá-lo cedo. Por isso que é tão importante consultar o ginecologista anualmente e realizar os exames de rotina solicitados. As pessoas que não seguem estas recomendações são mais propensas a ter um câncer de mama encontrado depois que já se espalhou.8 No Brasil ainda é comum o câncer de mama ser diagnosticado tardiamente, e um grande número dos diagnósticos já indicam câncer de mama em estágio avançado.9,10


Referências
1. Breast Cancer Organization. Breast cancer risk factors. Disponível em http://www.breastcancer.org/risk/factors. Acesso em dezembro de 2016.
2. NIH – National Cancer Institute. General information about breast cancer. Disponível em https://www.cancer.gov/types/breast/patient/breast-treatment-pdq. Acesso em dezembro de 2016.
3. Breast Cancer Organization. Personal history of breast cancer. Disponível em http://www.breastcancer.org/risk/factors/personal_history. Acesso em dezembro de 2016.
4. Instituto Oncoguia. Metástase recidiva: como lidar com novos eventos? Disponível em http://www.oncoguia.org.br/conteudo/reportagem-metastase-recidiva-como-lidar-com-novos-eventos/4407/8/. Acesso em dezembro de 2016.
5. Cancer Treatment Centers of America. Breast cancer risk factors. Disponível em http://www.cancercenter.com/breast-cancer/risk-factors/tab/metastatic-breast-cancer-risk-factors/. Acesso em dezembro de 2016.
6. British Journal of Cancer. Early detection of metastatic disease in asymptomatic breast cancer patients with whole-body imaging and defined tumor marker increase. Disponível em http://www.nature.com/bjc/journal/v112/n5/abs/bjc20158a.html 7. Breast Cancer Organization. Race/Ethnicity. Disponível em http://www.breastcancer.org/risk/factors/race_ethnicity. Acesso em dezembro de 2016.
8. American Cancer Society. Can advanced or metastatic breast cancer be prevented? Disponível em
http://www.cancer.org/treatment/understandingyourdiagnosis/advancedcancer/advanced-cancer-prevention1. Acesso em novembro de 2016.
9. Revista Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia. Rastreamento do câncer de mama no Brasil: ainda há tempo para refletirmos. Disponível em
http://www.scielo.br/pdf/rbgo/v35n9/v35n9a01.pdf. Acesso em novembro de 2016.
10. Revista Brasileira de Cancerologia. Aspectos relacionados ao atraso no diagnóstico e tratamento do câncer de mama em uma unidade hospitalar de Pernambuco. Disponível em
http://www1.inca.gov.br/rbc/n_61/v01/pdf/05-artigo-aspectos-relacionados-ao-atraso-no-diagnostico-e-tratamento-do-cancer-de-mama-em-uma-unidade-hospitalar-de-pernambuco.pdf. Acesso em novembro de 2016.

Veja mais em: Diagnóstico e tratamento

Notícias Relacionadas